Resenha: O Retrato de Dorian Gray


 Autor: OSCAR WILDE

Editora: Martin Claret

Páginas: 196



Sinopse:
Dorian Gray é um belo e ingênuo rapaz retratado pelo artista Basil Hallward em uma pintura. Mais do que um mero modelo, Dorian Gray torna-se inspiração a Basil em diversas outras obras. Devido ao fato de todo seu íntimo estar exposto em sua obra prima, Basil não divulga a pintura e decide presentear Dorian Gray com o quadro. Com a convivência junto a Lorde Henry Wotton, um cínico e hedonista aristocrata muito amigo de Basil, Dorian Gray é seduzido ao mundo da beleza e dos prazeres imediatos e irresponsáveis, espírito que foi intensificado após, finalmente, conferir seu retrato pronto e apaixonar-se por si mesmo. A partir de então, o aprendiz Dorian Gray supera seu mestre e cada vez mais se entrega à superficialidade e ao egoísmo. O belo rapaz, ao contrário da natureza humana, misteriosamente preserva seus sinais físicos de juventude enquanto os demais envelhecem e sofrem com as marcas da idade.

Resenha:

É uma história que aborda a importância da beleza na sociedade durante o século XX, e quão importantes eram os princípios e valores de um individuo. Tudo ocorre em volta do personagem principal Dorian Gray, um jovem de 17 anos dono de uma beleza incontestável, que encantava a qualquer um que estivesse em sua presença. Durante muito tempo, Dorian via os elogios que recebia, principalmente aqueles vindos de Basílio Hallward, como palavras exageradas vindas de um estimado amigo. 

No entanto, sua percepção e consciência com relação à sua beleza se transformam no dia em que Basílio conclui sua mais nova obra prima, um retrato em tamanho natural de Dorian. Naquele momento, pode-se dizer que ele apaixonou-se por si mesmo. Com o choque ao ver sua própria beleza refletida tão puramente naquele quadro, e perturbado pelas teorias proferidas por seu novo amigo, lorde Henry Wotton, Dorian se entristece ao pensar que enquanto ele envelhece a cada hora, seu quadro estará sempre mostrando sua jovial beleza. 

Nesse momento, Dorian proíbe Basílio de expor o quadro em qualquer lugar que seja, e deseja que o quadro possa envelhecer em seu lugar, enquanto sua verdadeira beleza permanece intacta no decorrer dos anos, e alega que daria até mesmo sua alma para que isso acontecesse. A amizade entre Dorian e lorde Wotton cresce incontestavelmente, e o último passa a exercer grande influência sobre Dorian, alterando todos os seus pensamentos e teorias anteriores. Um amor inesperado por uma jovem atriz chamada Sybil Vane o toma de surpresa, levando-o da felicidade extrema a uma grande decepção. 

Uma alteração nos traços do quadro pintado por Basílio, ocorrida na exata noite do trágico fim de Sybil, deixa-o aterrorizado, desejando que jamais tivesse proferido aquelas palavras no estúdio de Basílio. Daquele dia em diante o quadro passou a ser como sua consciência, lhe mostrando a lenta destruição de sua alma. Com o passar dos anos, trancafiado em um quarto isolado da casa, o retrato de Dorian Gray envelhece cada vez mais, adquirindo uma aparência não apenas grotesca, mas também cruel. Será que as tentativas de Dorian de ser uma boa pessoa eram realmente relacionadas à preocupação com seu caráter e sua reputação? Ou seria apenas uma forma de alimentar seu ego?

Repleto de reflexões sobre o bem e o mal e o valor dos princípios, sem contar com acontecimentos chocantes, que resultarão em um surpreendente desfecho, O Retrato de Dorian Gray nos faz refletir sobre quão graves podem ser as conseqüências de atos irresponsáveis, e quão fácil pode ser ter sua alma corroída, quando se prende a algo fútil e supérfluo.


CAPAS ALTERNATIVAS


















Anúncios

11 thoughts on “Resenha: O Retrato de Dorian Gray

  1. Olha, vou te dar uma dica, Thais: Procure opinar mais sobre o livro em suas resenhas… Não é uma crítica, mas está soando mais como uma sinopse do que como uma resenha. Diga o que achou, o ponto baixo e o alto…Abraços '-'

  2. Olha, vou te dar uma dica, Thais: Procure opinar mais sobre o livro em suas resenhas… Não é uma crítica, mas está soando mais como uma sinopse do que como uma resenha. Diga o que achou, o ponto baixo e o alto…Abraços '-'

  3. Ainda não li o livro, apenas assisti ao filme. Mas tenho muita vontade de ler. Pelo menos no que diz respeito ao filme eu fiquei fascinada pela hst! E uma obra incrivel tenho certeza. Ou seja se no cinema ja ficou tao interessante (ja q qdo transforma livros em filmes geralmente mudam muita coisa) o livro deve ser realmente bom! Mas obviamente q ao ler o livro vou acabar projetando minha propria ideia de Dorian Gray tirada do filme a começar pela aparencia de Dorian com cabelos escuros e não loiro como na obra literaria!

  4. Curiosamente, o romance que eu achei muito interessante e não vejo por que se tornou um clássico da literatura. Também me lembrou da série recém-lançado chamado Penny Dreadful, uma história que lida com a origem de personagens literários clássicos como Dorian Gray e Dr. Frankenstein, a verdade é muito bom.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s